MAN Latin America, Fabrik in Resende, Planta de Resende, Produktionslinie Volkswagen LKW, Consorcio Modular, Resende, RJ, Brasil, Brasilien

INVESTIMENTO DA VOLKSWAGEN NA FÁBRICA DE CAMINHÕES DE RESENDE

Recurso será usado entre 2017 e 2021 em novos produtos e modernização da produção

Apesar da crise econômica que assola o país, e que atingiu fortemente o setor de caminhões com queda de 71% na produção de 2009 para cá, a Volkswagen Truck & Bus anunciou investimento de R$ 1,5 bilhão em sua fábrica de caminhões em Resende, no sul fluminense. O recurso será aplicado entre os anos de 2017 e 2021 para o desenvolvimento de novos produtos e na modernização da produção, explicou Andreas Renschler, presidente da Volkswagen Truck & Bus.

— Acreditamos que o mercado vai reagir. Sabemos que levará algum tempo para essa reação chegar ao mercado de caminhões, mas estamos lançando esse investimento para assumirmos uma boa posição quando o ciclo for positivo — disse Renschler durante encontro com jornalistas em São Paulo.

A fábrica de Resende opera hoje com 75% de capacidade ociosa. O número de funcionário também caiu ao longo do tempo. Em 2011, a unidade empregava 2,3 mil pessoas, hoje são 1,7 mil. Roberto Cortes, presidente da MAN Latin America, fabricante dos ônibus e caminhões da marca Volkswagen, explicou que a empresa iniciou um processo de ajuste em 2012, com objetivo de deixar a produção do tamanho da demanda. O objetivo deste investimento é o mesmo, adequar a companhia para a demanda futura.

— Acreditamos que em 2018 haverá a melhora do nível de emprego e do investimento, e as pessoas voltarão a consumir — disse Cortes, para completar: — As vendas de caminhões voltarão, fazendo uma curva em formato de U, não de V, ainda sofrendo em 2017 e 2018, mas vão voltar.

Entre as apostas para a unidade de Resende está o aumento das exportações a partir da unidade. Hoje, segundo os executivos, entre 15% e 20% da produção total é exportada. O objetivo é ampliar para 30% nos próximos três anos.

Renschler e Cortes estiveram na manhã desta quinta-feira (1/12) com o presidente Michel Temer, em Brasília, para oficializar o plano de investimentos. O ministro da Indústria, Marcos Pereira, e o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, também participaram do encontro. Na ocasião, contou Cortes, os executivos pediram ao governo a ampliação do Finame, disponibilizado pelo BNDES para empresas que querem comprar máquinas ou caminhões; e a melhor oferta de crédito para exportação.

— A indústria não quer subsídio nem incentivo fiscal, mas a melhoria de dispositivos que criam uma base para financiar a troca dos veículos — detalhou Cortes, acrescentando que Temer recebeu bem a sugestão e ficou de avaliar a possibilidade.

O alemão Renschler frisou que a Volkswagen acredita que a situação política e econômica brasileira “vai melhorar, a questão é saber quando”.

— Não somos novos no Brasil e sabemos que as coisas oscilam o tempo todo para cima e para baixo. É verdade que essa crise foi a pior, mas vemos um movimento na direção correta para o país superar os atuais enormes desafios — afirmou.

http://revistapegn.globo.com/Negocios/noticia/2016/12/volkswagen-vai-investir-r-15-bilhao-na-fabrica-de-caminhoes-de-resend.html

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui