O comércio local vem acumulando quedas constante em vendas e faturamento. Crise econômica, política, desemprego, custo alto, crescimento das lojas online, tudo acaba contribuindo para um cenário pouco favorável ao empresário que tem um comércio local.

Os desafios são vários, entre eles aumentar o número vistas na loja, vendas e, consequentemente, as receitas.

Pensando nisso, uma startup brasileira quer ajudar o comércio local a aumentar suas vendas e receitas.

Usando um modelo bastante consolidado na Europa, que existe há mais de 30 anos e já beneficia mais de 20 mil comércios locais, chamado pontos de retirada.

Pessoas que compram pela internet mas tem dificuldade de receber a mercadoria por não estarem em casa no momento do recebimento, morarem em áreas não atendidas pelos serviços dos Correios e transportadoras, ou que simplesmente queiram reduzir o valor do frete, podem solicitar receber a mercadoria comprada no e-commerce em um comércio local próximo de sua casa.

Com isso, o comerciante recebe novos visitantes e ainda ganha dinheiro por aproveitar seu espaço ocioso dentro da loja.

Segundo João Cristofolini, CEO e fundador da empresa Pegaki, em média 30% das pessoas que retiram um produto comprado pela internet no comércio local, acabam comprando algum produto ou serviço nesse comércio. Além de ser uma ação de marketing sem custo para o comércio, ele chega a receber em média R$ 500,00 adicionais por mês para isso. “Economia compartilhada é um modelo que veio para ficar, aproveitar espaço ocioso dentro do carro, da casa e agora do comércio. Com isso todos ganham, o comércio, o e-commerce e o cliente final”, detalha.

Mais informações: www.pegaki.com.br e contato@pegaki.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui